Sábado, 7 de Março de 2009

Dia da mulher

História do 8 de Março

No Dia 8 de Março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

 

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de Março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

 

Tags:
Publicado por gorety às 14:17

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 22 de Novembro de 2008

Primeiros povos da Penísula Ibérica

A Península Ibérica é habitada há muitos milhares de anos.   

 

Os Povos que habitavam a Península Ibéria eram Nómadas, viviam da caça, da pesca e dos frutos silvestres. Com a descoberta da agricultura, estes povos vão-se fixando junto dos rios e das terras mais férteis e constroem povoados, passaram a ser sedentários.

 

Iniciam-se as primeiras invasões.

 

Os Iberos foram o primeiro povo a habitar a Península Ibérica. Vieram do centro da Europa. Do nome deste povo formou-se a Península Ibérica.

 

 Mais tarde, surgiu um povo guerreiro e agricultor – os Celtas.

 

Os Iberos e os Celtas acabaram por se unir, dando origem aos Celtiberos, aos Lusitanos e a outros povos.

 

Os Lusitanos ocuparam uma grande parte do território. Um dos grandes chefes lusitanos foi Viriato, célebre pela forma como combateu os exércitos romanos, que entretanto também invadiram a Península Ibérica.

     

Vindos do Mar Mediterrâneo, surgiram outros povos mais evoluídos, os Fenícios, os Gregos e os Cartagineses, cuja actividade principal era o comércio.

 

 Os Romanos foram um povo proveniente de Roma que chegaram no séc. III a.C.

 Os Romanos trouxeram alguns dos seus costumes para a Península Ibérica.

·        Desenvolveram as culturas do trigo, da vinha e da oliveira.

·        Criaram indústrias de tecelagem, as minas as pedreiras e as olarias.

·        Criaram locais de comércio e usavam a moeda.

·        Construíram estradas e pontes.

·        Trouxeram o latim e a religião cristã.    

Durante o período da ocupação romana, nasceu Jesus Cristo que deu origem ao cristianismo.

 

Os Bárbaros invadiram o império Romano e fixaram-se na Península Ibérica. De entre eles destacavam-se os Visigodos que conseguiram dominar toda a Península e formar um reino que durou 300 anos.

 

O domínio dos Bárbaros terminou com a invasão dos Árabes ou Muçulmanos.

 

Publicado por gorety às 01:31

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

Frei João Sem Cuidados

O rei ouvia sempre falar em Frei João Sem Cuidados como um homem que não se afligia com coisa nenhuma deste mundo.
- Deixa estar, que eu é que te hei-de meter em trabalhos!
Mandou-o chamar à sua presença e disse-lhe:
- Vou dar-te uma adivinha e, se dentro de três dias não me souberes responder, mando-te matar. Quero que me digas quanto pesa a Lua, quanta água tem o mar, e o que é que eu penso?
Frei João Sem Cuidados saiu do palácio bastante atrapalhado, pensando na resposta que havia de dar àquelas perguntas. O seu moleiro encontrou-o no caminho e lá estranhou de ver Frei João Sem Cuidados de cabeça baixa e macambúzio.
- Olá, senhor Frei João Sem Cuidados, então que é isso que o vejo tão triste?
- É que o rei disse-me que me mandava matar se dentro de três dias eu não lhe respondesse a estas perguntas: Quanto pesa a Lua? Quanta água tem o mar? O que ele pensa?
O moleiro pôs-se a rir e disse-lhe que não tivesse cuidados, que lhe emprestasse o hábito de frade, que ele iria disfarçado e havia de dar boas respostas ao rei.
Passados os três dias o moleiro, vestido de frade, foi pedir audiência ao rei. O rei perguntou-lhe:
- Então quanto pesa a Lua?
- Saberá Vossa Majestade que não pode pesar mais do que um arrátel, porque todos dizem que ela tem quatro quartos.
- É verdade... E agora: quanta água tem o mar?
Respondeu o moleiro:
- Isso é muito fácil de saber. Mas como Vossa Majestade só quis saber da água do mar, é preciso primeiro que mande tapar todos os rios, porque sem isso nada feito.
O rei achou bem respondido. Mas zangado por ver que Frei João Sem Cuidados se escapava das dificuldades, tornou:
- Agora, se não souberes o que penso, mando-te matar!
O moleiro respondeu:
- Ora Vossa Majestade pensa que está a falar com o Frei João Sem Cuidados, e está mas é a falar com o seu moleiro!
Deixou cair o hábito de frade, e o rei ficou pasmado com a sua esperteza. 

Lenda Popular

Publicado por gorety às 09:44

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

Viriato

Foi um dos principais chefes dos Lusitanos que resistiu à ocupação Romana da Península Ibérica.
Foi assassinado em 139 a C. por um lusitano pago pelos romanos.

Os Lusitanos, que não tinham inicialmente um bom chefe, apareceram aos Romanos como presa fácil na guerra; mas, mais tarde, quando Viriato se tornou o seu chefe, infligiram grandes derrotas aos Romanos. Viriato era pastor desde pequeno, vivendo na montanha. Habituado a comer pouco, a fazer exercícios, a dormir apenas o necessário, não se separando das suas armas e lutando contra animais e malfeitores, ele tornou-se famoso e foi escolhido como chefe dos Lusitanos. Ao vencer os seus combates, foi admirado pelo seu valor e tornou-se famoso como chefe militar.


Viriato e outros Lusitanos.

Funeral de viriato:

"O cadáver, magnificamente vestido, foi queimado numa pira, onde sacrificaram numerosas vítimas, enquanto os soldados corriam em volta, formados, empunhando armas e cantando, à maneira bárbara, as suas glórias em honra do herói. Por fim, duzentos pares de guerreiros efectuaram simulacros de combates e não abandonaram o local enquanto o fogo se não extinguiu por completo.

Pintura: "A morte de Viriato", por José de Madrazo

Terça-feira, 11 de Novembro de 2008

Milagre das Rosas

D. Isabel, mulher do Rei D. Dinis, era tão boa e amiga dos pobres que ainda em vida lhe atribuíam milagres.

Mais tarde, o Papa veio a canonizá-la, ou seja, a reconhecê-la como Santa.

Numa manhã fria de Inverno a Rainha saiu do palácio levando pães nas pregas do manto para distribuir. O Rei encontrou-a e perguntou-lhe o que levava tão bem escondido. Ela ficou embaraçadíssima, porque não gostava de divulgar as suas boas acções e respondeu-lhe:

- São rosas, Senhor!

O Rei estranhou.

- Rosas em Janeiro?

Muito corada de olhos baixos, Santa Isabel abriu o manto... e o pão transformara-se em rosas!

Publicado por gorety às 16:39

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008

D. AFONSO HENRIQUES

Para ajudar D. Afonso VI , rei de Castela, a combater os Mouros vieram de França cavaleiros, entre eles D. Henrique que combateu com toda a sua coragem e valentia e como recompensa casou-se com D. Teresa filha do rei de Castela e recebeu o Condado Portucalense.
Deste casamento nasceu D. Afonso Henriques que viria a ser o primeiro rei de Portugal.
Quando D. Henrique faleceu D. Afonso Henriques tinha só três anos, mas aos 14 fez-se cavaleiro na catedral de Zamora.
Como o Condado Portucalense estava dependente de Castela, D. Afonso Henriques lutou contra Castela, para o Condado Portucalense ficar independente o que viria a acontecer na Conferência de Zamora, em 1143.
D. Afonso Henriques nesta altura, chega a primeiro rei de Portugal.
D. Afonso Henriques atacou os mouros para alargar o reino e ficou a fronteira sul no rio Tejo.

D. Afonso Henriques, 1º rei de Portugal

Fonte:http://educom3.sce.fct.unl.pt/~p-letr/pesqperso.htm# D.%20Afonso%20Henriques

Publicado por gorety às 20:58

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Lusitanos

 

Um pouco antes de os romanos chegarem à Península Ibérica, chegou um conjunto de povos de origem celta vindo da Europa Central, ocupando o território entre os rios Douro e Tejo.

Pensa-se que os lusitanos terão sido uma mistura de povos de várias origens e foram o povo que mais lutou contra a invasão das tropas romanas.

Contam-se histórias de duros combates entre os romanos e os lusitanos entre os anos de 193 e 45 a.C.

Enquanto os romanos tinham o hábito de fazer grandes batalhas, os lusitanos organizavam-se de outra forma, atacando quando os inimigos menos esperavam, numa técnica parecida com a actual guerrilha: surtidas e ataques surpresa.

Usavam armas ofensivas (punhais, espadas dardos e lanças) e defensivas (pequenos escudos redondos, apresentando uma concavidade central, de modo a interceptarem as setas).

O corpo era protegido de forma rudimentar, com uma couraça de linho espesso, e usavam capacetes metálicos ou de couro, como os povos do centro da Europa.

 

Antes da chegada dos romanos, a cultura lusitana incluía uma arquitectura de pedra, com grupos de habitações em forma de círculo, com muros a constituírem castros (ou citânias).

 

Normalmente localizavam as suas aldeias em zonas de difícil acesso e defendidas por muralhas.

 

Praticavam uma agricultura rudimentar, completada com caça, pesca e pastorícia. Mesmo assim, sabias que ainda exerciam algum comércio?

 

Fazia parte dos seus hábitos a prática de uma religião panteísta, marcada por divindades ligadas à terra ou à fecundidade.

 

Em relação à arte (particularmente em objectos utilitários ou de adorno), é de salientar a ourivesaria. Eram muito desenvolvidos nesta área devido à riqueza em ouro das regiões que ocupavam.

   Guerreiro Lusitano

Fonte: Site Júnior

Publicado por gorety às 11:53

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Lenda de Egas Moniz

 LENDA

A Egas Moniz terá sido confiada a tarefa de aio (educador) na “criação de D. Afonso Henriques”.
Quando em 1127 o rei de Leão, Afonso VII, veio cercar D. Afonso Henriques na cidade de Guimarães, com forças muito superiores, reconheceram os cavaleiros Portugueses que o seu “rei” não poderia resistir-lhe. Foram por isso ter com o rei de Leão, e pediram-lhe que levantasse o cerco, prometendo que D. Afonso Henriques lhe prestaria vassalagem. Por essa promessa ficou responsável Egas Moniz. Como D. Afonso Henriques, por vários motivos, esquecesse a promessa feita pelo seu aio, Egas Moniz foi a Toledo acompanhado pela sua esposa e seus dois filhos, todos os quatro com uma corda ao pescoço, oferecer as suas próprias vidas ao rei de Leão.

Admirado com tão nobre procedimento Afonso VII perdoou-lhe, com palavras de muito louvor. Egas Moniz, com o seu exemplo, ensinou “que a honra vale mais que a própria vida”.

Egas Moniz

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Posts recentes

. Dia da mulher

. Primeiros povos da Penísu...

. Frei João Sem Cuidados

. Viriato

. Milagre das Rosas

. D. AFONSO HENRIQUES

. Lusitanos

. Lenda de Egas Moniz

.Arquivos

. Março 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.Tags

. todas as tags

.Favoritos

. Lugares de sonho - Madeir...

. São Jorge - Santana

. Paúl da Serra

. Cogumelos

. Dias Frios - Pico Ruivo

. São Vicente

. Queimadas - Santana

. Lagoa do Lugar de Baixo

. Rancho - Santana

. Miradouro da Portela

.Links

.As minhas fotos

blogs SAPO
badge

.Relógio

.Subscrever feeds